Atendimento ao paciente Retinopatia DiabéticaSão caracterizadas por lesões que aparecem na retina, podendo causar pequenos sangramentos e, como conseqüência, a perda da visão. Exames de rotina de fundo de olho podem detectar anormalidades em estágios primários, o que possibilita o tratamento ainda na fase inicial do problema. Hoje, a retinopatia é considerada uma das mais freqüentes complicações crônicas do diabetes (ver figura). Recomenda-se que o exame de fundo de olho seja realizado no diagnóstico do tipo 2 a após 5 anos do tipo 1. Caso esteja normal pode ser repetido a cada 2-3 anos. Caso haja anormalidades o paciente deve ser encaminhado ao oftalmologista que decidirá a freqüência de acompanhamento. Foto Tratamento O tratamento com a fotocoagulação (realizado com raio lazer) tem demonstrado bons resultados na prevenção da perda visual e na terapia de alterações retinais. É indicado para edema de mácula e em situações com hemorragia, tração vítreo-retiniana e descolamento de retina. Naturalmente, estes procedimentos devem ser indicados e realizados pelo médico oftalmologista. Veja também: Veja como fazer o rastreamento das complicações crônicas do diabetes.